QUARENTENA: como manter o capricho com a família toda em casa



Em decorrência da quarentena fomos obrigados a PARAR, sair do "piloto automático". Tivemos que ficar confinados em casa e adaptarmos completamente as rotinas. Sair?! Somente para o essencial e, como resultado, ganhamos muito mais tempo de convívio com quem vive com a gente.

Teve gente que surtou. Teve gente que brigou. Teve gente que se amou ainda mais.

Momentos assim são uma oportunidade única para olharmos enfim para o outro e refletirmos sobre quem realmente são, como se sentem e quais seus anseios.

Nessa hora nos damos conta do quanto somos vulneráveis e de como nos sentimos, ainda mais vulneráveis, sozinhos. E nos damos conta também de como somos parte importante e podemos fazer a diferença para os outros.


Finalmente, fomos apresentados com duas opções: reclamar da nova realidade ou aprender a conviver conosco e com os que amamos de uma maneira diferente.


Nesta realidade inédita, para muitos surge a oportunidade de REAPRENDER A CONVIVER, de reforçar laços internos e com familiares.


Afinal, fugir pra onde?


Autor: Desconhecido


O confinamento obrigatório por vezes pode soar claustrofóbico, mas também pode ser um caminho para o autoconhecimento, para aprender coisas novas, se aprofundar em temas que te interessam, se divertir e, principalmente, reforçar laços afetivos a partir do respeito e da empatia.


Na cartilha Desconforto Emocional em Períodos de Isolamento, escrita pela psicóloga Karoline Paiva e o psicanalista Marcos Wagner, os autores sugerem ações que procuram suavizar os efeitos negativos desse isolamento. Recomendam:


- Evitar informações em excesso. Não veja noticiários demais. A hiper-informação pode levar a ansiedade. Tente acalmar sua mente. Medite.


- Evitar pensamentos vitimistas. O isolamento social não é uma punição e sim uma maneira de preservar as pessoas. Veja seu isolamento como algo positivo.


- Evitar pensar que solidão significa abandono. Se faça presente mesmo estando longe de familiares e amigos. Faça o uso da tecnologia para ter boas conversas com seus entes queridos. Existem vários aplicativos de videoconferência que ajudam a aproximar quem está longe. Não deixe a solidão te causar tristeza.


- Evitar o pensamento pessimista. Quando estamos amargurados não conseguimos enxergar soluções. Criamos um círculo vicioso. O pensamento pessimista não encontra solução que acaba alimentando o pensamento pessimista que não consegue ver solução e por aí em diante.


- Evitar o não fazer nada. O fazer nada pode criar desânimo. Preencha seu tempo! Faça aulas de yoga, ou de exercícios, leia, faça um curso, cozinhe coisas novas, ORGANIZE SUA CASA. Mantenha-se ativo e produtivo! Procure aquecer sua alma com as coisas que te fazem bem e te trazem esperança.


- Evitar a falta de rotina. Já falamos muito sobre rotina: da rotina simples de fazer a cama e por uma mesa, até a rotina de limpeza da casa. A rotina ajuda na realização de propósitos. Organize seu tempo. Sempre respeitando os intervalos das refeições e sem deixar de considerar o tempo livre!


- Evitar pensar somente em você. A sua individualidade é valiosa, mas você precisa ter em mente que, provavelmente, está em um ambiente com mais pessoas. É importante praticar a empatia, colaborar mais, TORNAR SEU LAR UM LOCAL AGRADÁVEL DE SE ESTAR NESSE PERÍODO.


A Arte de Conviver nunca se mostrou tão importante como nesse momento de isolamento social. A arte de conviver tanto consigo mesmo como com familiares. Isso implica que além do amor, há de haver limites, respeito, solidariedade, compreensão, direitos e deveres para todos.


A arte de conviver é a arte de amar mesmo querendo fazer diferente, de respeitar mesmo sem concordar, de se ajudar mesmo sem entender os porquês. Olho no olho, coração no coração.

É aí que entra uma providência legal e bem respeitosa. Você tem que entender quais são os hábitos desse momento e criar “cantinhos” adequados na sua casa. Assim, vai ser muito mais fácil usar e dividir espaços e ainda ganhar produtividade em cada tarefa do dia-a-dia.

Pense, então, sobre suas necessidades e as necessidades de quem vive com você e tente proporcionar mais conforto e aconchego através de “cantinhos” pensados e feitos sob medida para cada um!

Aqui algumas das nossas sugestões de “cantinhos” que podem agradar:

_ home office – Muita gente está trabalhando de casa. Escolha um espaço na sua casa que tenha alguma privacidade de precisar e receba luz natural, o sol tem poderes incríveis. Tenha uma mesa, canetas à mão, luz acessória e sempre uma plantinha por perto, traz vida! Personalize com fotos, frases ou memes que goste e até um cheiro que te dê mais alegria.


Home office. Foto: Atitude Caprichosa

_ leitura – aqui a palavra é conforto, seja numa boa poltrona ou jogado em almofadas. Coloque um apoio para uma xícara de café ou uma boa taça de vinho, sempre boas companhias para esse momento.


Cantinho da leitura. Foto: Atitude Caprichosa

_ café – ficando mais em casa, é bem interessante que você tenha sua cafeteira e aquela xícara preferida sempre à mão. Pausas necessárias durante o dia.


Cantinho do café. Foto: Atitude Caprichosa

_ meditação e exercícios físicos – agora é fundamental. Sanidade de corpo e alma. Um espaço para seu tapetinho, e elementos por perto que te deem energia! Uma garrafinha de água não pode ser esquecida.



Cantinho zen. Foto: Atitude Caprichosa

Monte seus “cantinhos” com capricho. Cuide do próximo. Vai passar!


Capricho é uma atitude com jeitinho de amor.


Beijos,

Caprichosas

Agende uma visita sem compromisso!        (21) 99971-2606 | (21) 98805-4753 | contato@atitudecaprichosa.com.br
MAPA DO SITE

atitude

caprichosa

ORGANIZAÇÃO - FUNCIONALIDADE - CAPRICHO
  • Facebook - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle